Um empresário pode ser vulnerável?

Um empresário pode ser vulnerável?

Um empresário pode ser vulnerável? Vou falar-vos da minha experiência.

Ser empresário

Na minha função de coach empresarial, todos os dias me reúno com empresários. Uns mais velhos, outros mais novos, homens e mulheres. Todos bastante diferentes, mas com uma coisa em comum: liderarem uma empresa que querem fazer crescer e estão disponíveis para aprender e evoluir no sentido de fazer melhor todos os dias.

Sei que nem todos os empresários são assim, mas felizmente aqueles que decidem trabalhar connosco já têm estas características que os distinguem e que os fazem pertencer a uma elite de maior potencial de sucesso empresarial.

A sessão inicial de diagnóstico

A nossa forma de apresentar o nosso trabalho aos clientes é através de uma sessão inicial de diagnóstico em que percorremos uma bateria de perguntas sobre aquilo que são, no nosso entendimento, as práticas mais importantes que distinguem uma empresa de sucesso. O objetivo destas perguntas é entender o estado atual da empresa, os seus maiores desafios e como podemos ajudá-los a ir mais além.

É aqui que, muitas vezes, começa o nosso desafio com os empresários. Quando começamos a fazer perguntas a frio – se tem uma visão, se tem uma missão, se os pontos de cultura estão definidos – alguns empresários ficam desconfortáveis e entram em modo defensivo. Respondem logo que têm tudo, pois sentem que o facto de não terem algo considerado por nós importante, faz deles maus gestores.

Nesta fase, tento deixá-los à vontade. Refiro que a grande maioria dos gestores com que trabalhamos, quando inicia o trabalho connosco não tem estas definições claras, escritas e bem comunicadas para a empresa e que, por isso, o facto de eles não terem não faz deles maus gestores, mas apenas pessoas que poderão fazer ainda melhor. E não será assim com todos nós? Todos nós temos um longo caminho de aprendizagem pela frente, acredito eu.

Gestão, liderança e vulnerabilidade

Nos últimos meses, tenho refletido muito sobre gestão e sobre liderança e um dos pontos que mais me tem surgido é o tema da vulnerabilidade e da autenticidade. Sobre autenticidade irei falar noutro artigo.

Mas será que um gestor pode mostrar as suas vulnerabilidades?

A maioria das pessoas tende a esconder as suas vulnerabilidades. Sente que essas são as suas fraquezas, que se os outros entenderem quais são aquilo que considera os seus pontos fracos, o irão atacar por aí, irão tirar partido das suas vulnerabilidades.

Os gestores também pensam assim. Sentem que estão sempre muito expostos, por um lado numa luta com a concorrência e, por outro lado, numa luta pela conquista do respeito e do cumprimento da própria equipa.

Esconder vulnerabilidades?

Mas será assim tão importante esconder os nossos pontos mais vulneráveis? Será mesmo que os outros estão à procura das nossas fraquezas para nos atacar?

Embora eu entenda este ponto de vista, hoje a sociedade está muito mais sensível aos seres humanos, à história por trás da cara, aos sentimentos escondidos pela máscara.
Claro que é importante que os nossos concorrentes e, acima de tudo, os nossos colaboradores tenham orgulho no gestor da empresa e que pensem que ele é uma pessoa muito competente.
Mas será que alguém com sentimentos, com fraquezas e com vulnerabilidades não é competente?

Na minha óptica alguém que consegue admitir que é menos forte em alguns pontos, é uma pessoa já muito corajosa pois tem a competência de se auto-analisar e a humildade de admitir os seus pontos a melhorar. E este é o primeiro passo para ser melhor todos os dias.

O que o fez chegar aqui não o leva mais além

Só depois de entender que o que fui até hoje me trouxe até aqui, mas que se não mudar nada não conseguirei ir mais além. Pois lembrem-se, como diz Marshall Goldsmith no seu livro:

“O que o fez chegar aqui não o leva mais além”

Ainda não encontrei nenhum ser humano perfeito, nem nenhum gestor que esteja a fazer tudo bem e, por isso, termos a humildade de assumir o que estamos a fazer menos bem e de pedir ajuda naquilo em que somos menos bons é muito importante. Então, um empresário pode ser vulnerável?

Um empresário pode ser vulnerável?

Se os nossos colaboradores sentirem que o chefe é um ser humano com muitas qualidades mas também com algumas vulnerabilidades, certamente que irá fazer com que eles se identifiquem muito mais com a empresa. Assim vão se sentir mais próximos, estando mais disponíveis para ajudar e estando mais envolvidos em todo o processo.

Será que ainda esconde as suas vulnerabilidades?

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments